Arqueólogos peruanos encontraram evidências do que pode ser um dos maiores casos do mundo de sacrifício de crianças. O cemitério pré-colombiano, chamado de Las Llamas, contém os esqueletos de 140 crianças de idades entre 5 e 14 anos, que foram sacrificadas durante uma cerimônia há cerca de 550 anos. No local, também foram encontrados os restos de 200 jovens lhamas, aparentemente sacrificadas no mesmo dia. 

O local foi provavelmente construído pelo antigo Império Chimu. Os pesquisadores acreditam que as crianças foram sacrificadas quando as inundações causadas pelo El Niño devastaram a costa do Peru. “Possivelmente, eles estavam oferecendo aos deuses a coisa mais importante que eles tinham enquanto uma sociedade, que eram as crianças, porque elas representam o futuro”, disse Gabriel Prieto, arqueólogo que liderou a escavação. “As lhamas eram também muito importantes, já que eram os animais de carga desse povo, uma parte fundamental da economia”, adicionou.

Apesar de as escavações terem iniciado em 2011, somente neste ano, em abril, foram publicados os achados. Segundo Prieto, além dos ossos, também foram encontradas pegadas que sobreviveram à chuva e à erosão. Elas indicam que as crianças foram levadas para a morte a partir de Chan Chan, uma cidade antiga próxima a Las Llamas. Os ossos do peitoral das crianças continham lesões, sugerindo que a pessoa que liderava os sacrifícios estava tentando extrair seus corações. O DNA delas será analisado para saber se elas tinham algum grau de parentesco entre si. 

Muitas culturas antigas das Américas praticavam sacrifícios humanos, incluindo os Maias, os Astecas e os Incas, que conquistaram o Império Chimu no final do século XV. Mas o sacrifício em massa de crianças é algo que foi raramente documentado. 


Fonte: New York Times 
Imagem:  Matyas Rehak/Shutterstock.com


Arqueólogos descobrem local de sacrifício em massa de crianças no Peru

Marcadores:

Postar um comentário

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.