A Fifa se pronunciou neste domingo a respeito da reportagem do jornal inglês “Daily Mail”, em que se levanta a suspeita de que jogadores da seleção russa estariam dopados na Copa do Mundo de 2014, sendo seis deles integrantes da equipe do país-sede da Copa das Confederações 2017. Em comunicado oficial, a entidade afirmou apenas que colabora com as investigações do Relatório McLaren, relativo ao maior escândalo de manipulação de desempenho da história do esporte, sem especificar quais são os atletas de futebol envolvidos*. A entidade ratifica que foram feitos testes surpresa de sangue e urina antes das competições e depois dos jogos. As amostras foram enviadas para um laboratório credenciado da Agência Mundial Antidoping (Wada) e deram negativo para todos os membros do elenco russo, no torneio de três anos atrás e agora.

– A Fifa simplesmente confirmou isso: em colaboração com a Wada, ainda está investigando as alegações envolvendo jogadores de futebol no Relatório McLaren. Entretanto, a Fifa não se referiu a quaisquer jogadores em particular, uma vez que não pode comentar sobre o estado das investigações em curso. É interesse da Fifa que esse procedimento seja finalizado o quanto antes. Até o fim dele, não podemos dar detalhe algum a mais – afirmou um porta-voz da Fifa sobre a reportagem do jornal.

A edição deste domingo do jornal inglês “Daily Mail” revelou em reportagem que todos os 23 jogadores da seleção da Rússia que foi eliminada na primeira fase da Copa do Mundo de 2014 estariam sob suspeita de doping em investigação da Fifa. Seis deles defendiam o país na Copa das Confederações até este sábado, quando foram eliminados na derrota por 2 a 1 para o México: o goleiro Akinfeev, os laterais Samedov e Kombarov, os meias Glushakov e Zhirkov e o atacante Kanunnikov.

De acordo com a reportagem, além dos 23, mais 11 jogadores de futebol em atividade ainda estariam na lista de mais de 1.000 suspeitos de envolvimento com o maior escândalo de doping da história do esporte, institucionalizado pelo governo russo. O “Daily Mail” afirma que a Fifa está com um dossiê detalhado sobre os atletas e que “ainda investiga as alegações”, segundo um porta-voz da entidade ouvido pela publicação.

O presidente da federação de futebol da Rússia, Vitaly Mutko, negou qualquer possibilidade de adulteração ou doping dos atletas na Copa do Mundo de 2014 e acusou a mídia britânica de conspiração.

– Não prestem atenção nisso, eles (a mídia britânica) escrevem negativamente sobre nós desde 2010. No futebol, nunca houve e nem haverá doping. Nosso time é checado aleatoriamente, o controle de doping está disponível em todas as partidas de futebol. Esse assunto nem poderia ter surgido. Eles escrevem coisas sem sentido nos jornais britânico, que você não precisa ler de manhã. Eles precisam escrever qualquer coisa – afirmou o dirigente em entrevista à agência de notícias russa, Tass.

Globo Esporte


Fifa confirma apenas que testes de doping de russos na Copa de 2014 deram negativos

Marcadores:

Postar um comentário

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.