Latest Post

“Um time ligado à premissa de design básico na camisa, mas tentando ser criativo assim mesmo. As famosas listras rubro-negras foram ajustadas uma polegada aqui, e os dois botões na gola deram um novo toque. Iremos comprá-la? As chances são grandes.”

O jornal inglês “The Telegraph” fez um ranking das 15 camisas de futebol mais bonitas lançadas neste ano e incluiu a de um clube brasileiro na lista: o uniforme rubro-negro do Flamengo, com listras mais grossas, revelado em abril pela Adidas.

Para o “The Telegraph”, o conjunto de camisas mais bonitas da temporada vem da Argentina, com as três do Vélez Sarsfield. A relação tem ainda o uniforme do time de estrelas da MLS, que faz uma homenagem à histórica segunda camisa dos Estados Unidos na Copa do Mundo de 1994.

Confira o “top 15” abaixo e a análise do jornal para cada clube: aqui

Globo Esporte – Brasil Mundial FC

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por meio da 47ª Promotoria de Justiça de Natal, pediu o bloqueio de R$ 2.107.126,57 da conta única do Tesouro do município para sanar a dívida com o Hospital Memorial. O atendimento aos pacientes de ortopedia do SUS no hospital está paralisado desde segunda-feira (17) por causa de atraso nos repasses dos valores referentes aos contratos firmados com o Governo do Estado e a Prefeitura de Natal. O requerimento do MPRN, assinado nesta sexta-feira (21), foi encaminhado à 3ª Vara da Fazenda Pública e aguarda decisão.

O MPRN destaca no requerimento que essa suspensão de atendimentos ao longo de toda a semana acarreta um efeito “cascata”, gerando um represamento dos pacientes que necessitam realizar cirurgias ortopédicas nos demais hospitais da rede, como os hospitais Deoclécio Marques e Walfredo Gurgel. “Esperamos resolver esse impasse para que o atendimento aos pacientes do SUS seja restabelecido o mais rápido possível”, destaca a promotora de Justiça Iara Pinheiro, que assina o requerimento.

Ainda na segunda-feira (17), o hospital requereu na Justiça o bloqueio integral da dívida porque já tinha apresentado uma petição manifestando-se acerca do cronograma dos pagamentos e requerendo a intimação do Município de Natal. O relatório preparado pelo Hospital Memorial e entregue ao MPRN apresenta uma planilha em razão de atendimentos realizados até abril deste ano, que chega ao montante de R$ 2.107.126,57.

Nesta sexta-feira (21), o MPRN entrou em contato com os representantes das Secretarias de Saúde Estadual e Municipal. O secretário municipal de Saúde de Natal, Luiz Roberto Leite Fonseca, reconheceu os atrasos dos pagamentos dos prestadores privados, inclusive, do Hospital Memorial. Já a secretária-adjunta de Saúde do Rio Grande do Norte assegurou o repasse da parcela do Termo de Cooperação entre os Entes Públicos (TCEP) até o dia 25 de julho de 2017, no valor de R$ 4.143.446,98.

MPRN


As vacas podem ser aliadas improváveis no desenvolvimento de vacinas eficazes contra a Aids, sugere estudo publicado nesta quinta-feira na revista “Nature”. Pesquisadores dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA descobriram que o organismo do gado bovino é capaz de criar anticorpos amplamente neutralizantes (bNAbs, do inglês broadly neutralizing antibodies) contra o HIV rapidamente, dias após contato com antígenos do HIV.

Os bNAbs são um tipo específico de anticorpos que, em laboratório, demonstraram capacidade de impedir que a maioria das cepas de HIV infectem células humanas, e de proteger modelos animais da infecção. Entre 10% e 20% das pessoas que vivem com o vírus desenvolvem os bNAbs naturalmente, mas cerca de 2 anos após a infecção, quando o vírus já está instalado no organismo. E, até o momento, os cientistas não foram capazes de induzir a produção do anticorpo pelo sistema imunológico humano, o que serviria como uma vacina contra a doença.
Bois e vacas podem ajudar a resolver esse problema. Naturalmente, esses animais são incapazes de adquirir o vírus HIV, por isso, os pesquisadores injetaram antígenos do HIV em quatro bezerros e esperaram pela resposta do sistema imunológico. Todos desenvolveram bNAbs contra o HIV no sangue, em períodos que variaram entre 35 e 50 dias, após duas injeções. Apesar de os bNAbs bovinos não serem indicados para uso clínico em humanos na forma atual, explorar essa rápida produção pode ajudar os cientistas no desenvolvimento de novas técnicas.

— Desde os primeiros dias da epidemia, nós reconhecemos que o HIV é muito bom em enganar a imunidade, então, sistemas imunológicos excepcionais, que produzem naturalmente anticorpos amplamente neutralizantes para o HIV são de grande interesse, sejam eles de humanos ou de gado — disse Anthony S. Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA.

Os pesquisadores isolaram os anticorpos dos animais imunizados para estudar suas propriedades. Um desses anticorpos se mostrou particularmente potente, por se ligar a uma região do HIV usada para conexão e infecção das células de defesa do organismo. Batizado como NC-Cow 1, ele neutralizou cerca de dois terços das cepas do vírus testadas.

— Uma minoria de pessoas vivendo com o HIV produz bNAbs, mas somente após um período significativo da infecção, num ponto em que o vírus no organismo já evoluiu para resistir a essas defesas — explicou Dennis Burton, pesquisador do The Scripps Research Institute e coautor do estudo. — As repostas potentes nesse estudo são marcantes porque o gado parece produzir bNAbs em pouco tempo. E diferente dos anticorpos humanos, os anticorpos do gado são mais propensos a ter características únicas que lhes dão vantagens sobre antígenos do HIV.

Apesar de ninguém saber exatamente por que esses poderosos anticorpos se desenvolveram nas vacas, uma teoria sugere que a característica esteja relacionada com o sistema digestivo ruminante. O gado bovino e outros animais possuem estômagos divididos em várias cavidades com uma robusta população de bactérias. E para conter possíveis infecções por esses micro-organismos, eles possuem um mecanismo versátil de produção de anticorpos.

— O HIV é um vírus humano — completou Devin Sok, coautor da descoberta. — Mas os pesquisadores certamente podem aprender de respostas imunológicas em outros animais.

Uma das aplicações práticas da descoberta é o uso dos poderosos bNAbs bovinos em ferramentas de prevenção, como cremes vaginais que evitem a infecção por HIV. Mas o objetivo principal é desenvolver uma vacina que induza o sistema imunológico humano a produzir os anticorpos.

Extra – O Globo


Wade Seago e o porco de 372 quilos abatido no Alabama | AP

Wade Seago tomou um susto com uma descoberta na frente da sua casa, em Samson, zona rural do Alabama (EUA), na semana passada: um porco selvagem imenso.

O americano pegou o seu revólver calibre 38 e abateu o animal. O porco foi morto com três tiros e acabou levado a uma empresa alimentícia para ser pesado: 372 quilos.

“Não pensei duas vezes em matar esse animal. Faria de novo”, contou ele em entrevista à agência AP.

Wade contou que pretende empalhar o porco e exibi-lo em sua loja de taxidermia. A carne será descartada.

“Não confio na carne”, afirmou.     

O Globo


As famílias carentes poderão ganhar até R$ 9.646,07 em ajuda do governo para aumentar ou reformar a casa. As regras do programa Cartão Reforma foram anunciadas na última semana e a entrega do primeiro cartão deve acontecer na terça-feira (25) em Caruaru (PE).

Porém, o programa ainda não tem data certa para começar de verdade. Segundo o Ministério das Cidades, ele está em fase final de regulamentação e de elaboração de normas técnicas, mas não há previsão de quando isso ficará pronto.

Quem tem direito ao benefício? Como fazer para receber? Confira 11 respostas aqui em matéria do UOL na íntegra.


A brasileira Paloma Aparecida Carvalho, 24, chegou a Dublin, na Irlanda, na terça-feira (18), com a expectativa de visitar amigos que fez no país entre 2015 e 2016, quando foi aluna de intercâmbio e “au pair” (babá). No entanto, após cerca de uma hora de conversas com funcionários da imigração do aeroporto, foi enviada à prisão, onde teve que passar a noite e também a maior parte do dia seguinte.

“Foi uma humilhação inacreditável. Não desejo para ninguém o que aconteceu comigo. Fiquei sem comer nem dormir por todo o tempo na cadeia. Não conseguia e ainda não consigo entender exatamente o porquê de terem feito isso comigo”, diz Paloma.

Ela conta que chegou em Dublin no começo da tarde de terça-feira (18), por volta das 16h (horário local), saindo da Suíça, onde estava para visitar os pais de seu noivo, Christian.

Carregando passaporte, passagem de saída (marcada para 25 de setembro), € 1.100 (cerca de R$ 4.000) e contatos de dois moradores locais em cujas casas ficaria hospedada, ela esperava entrar com tranquilidade no país. Não foi o que aconteceu.

“Assim que entreguei meu passaporte, a funcionária da imigração começou a me bombardear com perguntas sem deixar que eu respondesse até o fim. ‘Qual o seu intuito com a visita?’, ‘você estava aqui em dezembro, por que já está voltando?’. E então ela começou a insinuar que eu estava mentindo, dizendo ‘por que você não me fala a verdade? Você não está entrando para trabalhar aqui’?”, relembra Paloma.

Depois de 20 minutos, a brasileira diz que foi informada de que não entraria na Irlanda e seria deportada para a Suíça, de onde havia chegado. Como o próximo voo para lá seria apenas na quinta-feira (20), ela teria que esperar em uma “acomodação.”

Ao entrar na prisão de Dóchas, deparar-se com o aparelho de raio-x e ao passar pela clássica sessão de fotos direcionada a detentas, a ficha caiu: ela estava sendo presa.

A experiência prisional da brasileira, então, foi se tornando cada vez mais concreta.

“Me colocaram em uma salinha comprida, bem estreita, e com chão molhado. E então me pediram para tirar toda a minha roupa. Tive que ficar pelada para mostrar que não estava carregando nada. Eles pegaram meus pertences e me deram um saco com roupa de cama, copo, pijama, toalha.”

Às 18h, já em sua cela, Paloma havia se tornado uma detenta. Pouco depois ela teve acesso ao telefone, que lhe foi negado no aeroporto e na chegada à prisão. Ela, então, ligou para o noivo e para as pessoas que a receberiam na Irlanda e explicou toda a situação.

“Foi uma cachorrada o que fizeram com a menina. Tenho passagem comprada para Dublin, marcada para 5 de setembro, mas agora eu tenho medo de ir para lá visitar a minha filha. Se fizeram isso com uma menina, imagina o que não vão fazer com uma senhora que não fala uma palavra de inglês?”, diz Vandete Carvalho, 52, mãe de Paloma.
Na prisão de Dóchas, já com o pijama padrão, Paloma conhecia sua acomodação. As celas são todas fechadas às 19h30. Um quarto cujo tamanho dava “uns três passos longos”, com três camas, televisão e um banheiro. Paloma pediu água, a guarda pediu para que ela tomasse da pia. Que estava coberta de vômito, já que sua companheira de quarto, conta, era uma alcoólatra de 30 e poucos anos.

“Tirei o lençol do saco para arrumar a cama. Esse lençol estava completamente manchado de sangue velho, já marrom. A moça que estava na cela não parou de vomitar a noite toda. Não consegui dormir.”

Paralelamente, a alemã Karin Muller-Wieland, 38, matriarca da família que receberia Paloma em Galway, oeste da Irlanda, buscava todos os meios possíveis de tirar sua “irmã” da prisão.

Ela procurou um advogado, que precisaria de 48 horas para enfrentar toda a burocracia judicial. No entanto, Paloma seria deportada antes disso, na madrugada de quinta (20). Na embaixada brasileira em Dublin, Karin diz ter sido bem recebida, mas sem qualquer ajuda legal.
“Eles disseram que isso tem acontecido cada vez com mais frequência e que não teria o que fazer a não ser esperar a deportação.”

Na manhã de quarta-feira (20), após tentativas fracassadas de comer (“batata, carne e vegetais que pareciam vômito, e uma sopa que parecia diarreia. As funcionárias pegavam a comida com a mão mesmo, com luvas cirúrgicas, e uma presa ao meu lado comia como uma porca, com as mãos também”), Paloma recebeu ligação de Karin, que dizia que não havia conseguido nada para tirá-la da prisão ou para deportá-la mais cedo.

“Eu me sentia terrível por ter falhado com a Paloma. Somos todos muito gratos à Irlanda, a Paloma também. Mas o sistema de Justiça falhou com ela”, analisa Karin.

No final da tarde, pouco antes do novo toque de recolher, ela recebeu a notícia de que poderia sair dali. Sem perguntar os motivos, ela partiu em disparada.

Antes de sair, teve de ficar nua mais uma vez para ser revistada. Paloma, então, foi informada de que poderia ficar dez dias na Irlanda antes de deixá-la.

“Não nos falaram o porquê da soltura adiantada, mas provavelmente foi por causa da comoção pública. Algo que a Irlanda tem é um incrível senso de comunidade. Falamos com nossos amigos, que também acionaram suas redes de contatos e o caso teve repercussão entre políticos, que se engajaram”, diz Karin.

Em Galway, Karin e Paloma, que tem sido acompanhada por um psicólogo desde o ocorrido, planejam o que fazer nos próximos dez dias.

Elas devem viajar para a casa dos pais de Karin e aproveitar o período juntas com as crianças. Nesta sexta-feira (21) elas vão estudar as medidas legais que podem ser tomadas contra o governo irlandês e também para preservar Paloma –como ela não recebeu de volta seu passaporte, ela teme ter sua entrada dificultada na Europa daqui em diante.

OUTRO LADO
Procurada, a embaixada da Irlanda enviou declaração do Departamento de Justiça e Igualdade do país.

“O Departamento de Justiça e Igualdade não faz comentários sobre casos individuais. A Irlanda opera um sistema de imigração justo, seguro e efetivo e, de fato, o sistema irlandês de imigração é um dos menos onerosos para os visitantes. Os oficiais de imigração respeitam a dignidade de todas as pessoas com quem se envolvem e desempenham suas funções com profissionalismo e cuidado. É igualmente importante que as pessoas que procuram entrar no Estado forneçam informações precisas e completas sobre o propósito de sua entrada”, diz trecho da nota.

A embaixada do Brasil na Irlanda também enviou um posicionamento sobre o tema.

“No caso específico da senhora Paloma Carvalho, o Consulado foi contatado pela senhora Karin Muller-Wieland, para quem a Senhora Paloma teria prestados serviços de ‘au pair’. Na ocasião, representante da embaixada explicou-lhe que a Irlanda tem soberania sobre seu território e, portanto, detém o direito de decidir sobre a recusa de entrada de pessoas no país, de forma discricionária. Salientou, ainda que a embaixada, por diversas ocasiões, já registrou sua posição de desacordo com a prática de envio de cidadão brasileiros inadmitidos a centros de detenção. Por fim, a embaixada registra que a atuação contra a prática denunciada pela senhora Karin Muller-Wieland prosseguirá pelos canais diplomáticos”, finalizam.


BG

Uma imagem de radar de Blumenau, no Vale do Itajaí, flagrou na quinta-feira (20) um cachorro no banco do motorista. Como o real condutor estava na sombra, o cão parece estar “dirigindo” o veículo.
A imagem foi tirada na Rua República Argentina, no bairro Ponta Aguda, segundo o Serviço Autônomo Municipal de Trânsito e Transportes (Seterb).

De acordo com o órgão, a imagem do radar foi feita de manhã, durante uma fiscalização de rotina. A velocidade máxima na via é de 60 km/h e o carro trafegava a 71 km/h. O motorista foi multado com uma infração de natureza média, com o valor de R$ 130,16.

O Seterb também esclarece que cachorros não podem ser transportados dessa forma em carros. Existem duas opções seguras, sempre no banco de trás do veículo.

Uma é levar o cão dentro de uma caixa de transporte e prendê-la no cinto de segurança. A outra é colocar no cachorro um cinto específico, vendido em pet shops, e prender o material no cinto de segurança do automóvel.

G1


Eles haviam alcançado o Olímpo político. Eram figuras do mais alto escalão na Esplanada dos Ministérios em Brasília e donos de trajetória ascendente no PT. Hoje, vivem no ostracismo. E, por ora, por mais contraditório que possa parecer, querem mesmo ficar por lá – de preferência longe das luzes da ribalta. Alvos da Lava Jato, Aloizio Mercadante, Ricardo Berzoini, José Eduardo Cardozo e Erenice Guerra tentam tocar suas vidas de forma reclusa, bem diferente de um passado recente, quando encarnavam os papéis de principais escudeiros da ex-presidente Dilma Rousseff.

Acusado de obstrução de Justiça e delatado por suposto caixa dois, o ex-ministro da Casa Civil, da Educação e da Ciência e Tecnologia Aloízio Mercadante pediu aposentadoria este ano. Recebe R$ 15 mil mensais como ex-senador, ex-deputado e professor da Unicamp. Para complementar a renda, se vira como consultor. “Ele está desenvolvendo uma consultoria sobre política educacional brasileira para um organismo multilateral”, confirmou sua assessoria. Em setembro, foi hostilizado em Portugal. Conhecido por seu temperamento difícil, o ex-senador foi vaiado e xingado de “ladrão” e “corrupto” no Aeroporto de Lisboa, por supostamente furar a fila do check-in. Ele nega.

Tal como o companheiro de partido, Berzoini, hostilizado recentemente num restaurante, só que sem furar o lugar de ninguém, também resolveu submergir. Neste caso, um recuo tático: o petista já trabalha com um olho nas eleições de 2018. Ex-deputado por São Paulo, ele mudou seu domicílio eleitoral para Brasília este ano. Petistas ouvidos por ISTOÉ garantem que ele é um dos cotados para ser candidato a deputado federal ou mesmo a governador do DF.

Funcionário de carreira do Banco do Brasil, Berzoini deixou de disputar as eleições de 2014 para ajudar na campanha de Dilma Rousseff. Agora, avaliam, seria a hora de o PT retribuir o esforço. Em Brasília, o ex-parlamentar disputaria o mesmo nicho de votos da sindicalista Érika Kokay (PT), uma das principais lideranças da legenda na cidade. Segundo Érika, ainda não há definição de nomes para a disputa de 2018. “Mas seria uma honra e um orgulho para o PT ter o ex-deputado Berzoini disputando qualquer cargo”, disse Érika.

O que representa um orgulho para o PT não necessariamente constitui um orgulho para a população. Berzoini foi duplamente delatado na Lava Jato. Em 2016, o executivo da Andrade Gutierrez Flávio Machado contou que Berzoini pediu 1% de propinas de todas as obras da empresa com o governo federal. Já o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro envolveu Berzoini numa trama para enterrar a CPI da Petrobras, potencialmente constrangedora para o governo Dilma.

ISTOÉ


POR FOLHAPRESS

acordo de delação firmado entre o publicitário Marcos Valério e a Polícia Federal, que detalha um esquema conhecido como mensalão tucano, também atinge os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e José Serra (PSDB-SP), além dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Segundo a Folha apurou, a colaboração com a PF incorpora 60 anexos (relatos de episódios de supostas irregularidades) que haviam sido rejeitados pela Procuradoria-Geral da República e pelo Ministério Público de Minas Gerais. O novo acordo ainda ampliaria a lista de implicados.

A delação, assinada neste mês, foi enviada ao STF (Supremo Tribunal Federal) e depende de homologação. Não está claro quais episódios serão considerados e investigados pela PF.

Valério escreveu a delação à mão na prisão e teve os anexos posteriormente digitados. Os relatos contêm erros de grafia, além de equívocos em nomes de personagens e datas.

Condenado a mais de 37 anos de prisão pelo mensalão, Valério também é réu acusado de operar desvios por meio de suas agências de publicidade, a SMP&B e a DNA Propaganda, para financiar a fracassada campanha de reeleição do então governador mineiro, Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998.

Uma planilha assinada pelo publicitário aponta que a campanha recebeu cerca de R$ 10 milhões (R$ 33 milhões hoje) em desvios de estatais como a Cemig, Copasa, Furnas, Comig, Eletrobras, Petrobras, Correios, Banco do Brasil e Banco do Estado de Minas Gerais, que seria privatizado ainda em 1998.

O documento, com data de 1999, foi entregue à PF. O relatório aponta ainda que quase R$ 48 milhões (R$ 159 milhões atuais) foram obtidos via empréstimos, especialmente com o Banco Rural. As dívidas, segundo os anexos, seriam quitadas por construtoras, como a ARG e a Andrade Gutierrez.

De acordo com o controle de Valério, foram arrecadados e distribuídos ao menos R$ 104 milhões (R$ 346 milhões corrigidos) na campanha. A lista de recebedores inclui políticos e membros do Judiciário.

Segundo a narrativa do publicitário, o esquema de empréstimos fraudulentos do Banco Rural e ainda um repasse de R$ 1 milhão da Usiminas via caixa dois beneficiaram também as campanhas de FHC (1998), Aécio (2002) e Serra (2002). A siderúrgica também foi usada na eleição de Lula, em 2002, conta Valério.

Os anexos afirmam que Serra atuou, após perder a eleição presidencial de 2002, para resolver pendências do Banco Rural e, em troca, teve R$ 1 milhão de dívidas de campanha pagos pelo banco por meio da SMP&B.

PROPINA
Valério relata, nos anexos apresentados ao Ministério Público, pagamento de propina em troca da obtenção de contratos para suas agências. Durante o governo FHC, afirma, a DNA propaganda repassou a Aécio 2% do faturamento do seu contrato com o Banco do Brasil, que havia sido arranjado pelo senador com o aval do ex-presidente.

O publicitário conta que, no governo Lula, pagava R$ 50 mil por mês ao ex-ministro José Dirceu (PT) como acerto por uma conta de publicidade dos Correios. A troca de favores teria se repetido em órgãos como a Câmara dos Deputados, o ministério dos Esportes e a Assembleia de Minas, entre outros.

Valério afirmou ainda que Aécio encontrou-se, em Belo Horizonte, com a diretoria do Banco Rural e com os então deputados Eduardo Paes (PMDB-RJ) e Carlos Sampaio (PSDB-SP), da CPI dos Correios, de 2005, para blindar investigações sobre a campanha de Azeredo. A maquiagem de dados do banco pelo tucano foi delatada também pelo ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS).

Em outra CPI, a do Banestado, de 2003, o Banco Rural, segundo Valério, repassou R$ 500 mil a parlamentares por meio do deputado federal José Mentor (PT-SP) para escapar de acusações.

MENSALÃO
Os 60 anexos iniciais de Valério narram que o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, foi nomeado pelo ex-presidente para ser o contato com a SMP&B em meio à crise do mensalão, em 2005, e acertou um pagamento via Andrade Gutierrez.

“Ficou acertado uma ajuda no valor de R$ 5 milhões para pagar as despesas dos advogados […]. Ele nos falou que a construtora Andrade Gutierrez faria o pagamento […]. Pagamos os advogados dos réus, dando um pouco para cada um dos seis réus do núcleo político”, relata.
Valério diz ainda que, junto com o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, articulou um encontro entre o banqueiro Daniel Dantas e o ex-ministro Antonio Palocci para resolver problemas do Grupo Opportunity com o governo Lula.

Em troca, a Brasil Telecom, controlada pelo grupo, contratou serviços superfaturados do publicitário Duda Mendonça no valor de R$ 12 milhões.

Os anexos relatam ainda uma série de episódios envolvendo propina, como o pagamento de uma reforma no estádio do Morumbi e em prefeituras mineiras.

TENTATIVAS
As tratativas para delação começaram ainda em meados no ano passado. Um ofício de junho do Ministério Público de MG pede que os relatos sejam enviados à PGR por tratarem de políticos com foro privilegiado no STF. A Procuradoria chegou a enviar representantes a Minas, mas não levou o acerto adiante.

Uma nova tentativa com a 17ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de BH foi recusada em março deste ano.

Sete réus do mensalão tucano, incluindo Válério, ainda aguardam julgamento. O episódio gerou, até agora, a condenação de Azeredo a 20 anos e dez meses de prisão por peculato e lavagem de dinheiro. O julgamento em segunda instância está marcado para o próximo dia 8.
OUTRO LADO
A defesa do ex-governador de Minas Eduardo Azeredo (PSDB-MG) afirma que não irá fazer comentários antes de ter acesso à delação.

Alberto Toron, advogado do senador Aécio Neves (PSDB-MG), diz que as acusações de Marcos Valério são falsas e que o publicitário “busca, reiterada e desesperadamente, benesses para amenizar sua pena”.

“Muitas das acusações que agora faz contra o senador Aécio Neves, antigamente fazia contra o PT. Seu discurso se amolda e seus personagens se alteram, não de acordo com a verdade, mas de acordo com seus interesses privados e escusos”, diz Toron.

O advogado argumenta que o contrato da DNA, de Valério, com o Banco do Brasil foi firmado em 1994, antes do governo Fernando Henrique Cardoso. “O próprio Ministério Público, em outras oportunidades, reconheceu e descartou as inverdades dos discursos proferidos pelo sr. Marcos Valério.”

A assessoria do ex-presidente FHC afirma que ele desconhece a delação e qualquer pagamento de caixa dois em sua campanha à reeleição.

A assessoria do senador José Serra (PSDB-SP) afirmou que “todas as suas campanhas eleitorais foram conduzidas dentro da lei, com as finanças sob responsabilidade do partido”. “Acusações dessa natureza envolvendo o senador são descabidas e completamente absurdas.”

A assessoria do Instituto Lula afirma que, desde 2012, Valério faz acusações sem provas contra o PT e contra o ex-presidente Lula. Diz ainda que todas as investigações foram arquivadas pelo MP e que Paulo Okamotto não irá comentar suposições de delações.

O advogado de José Dirceu, Roberto Podval, diz que dar credibilidade a Valério é “desacreditar o próprio instituto da delação, que deve ser tratado com responsabilidade”.

O deputado José Mentor (PT-SP) afirmou não ter conhecimento da delação e que “não tratou de qualquer assunto da CPI do Banestado com Valério”.

A assessoria do Banco Opportunity afirma que Daniel Dantas não se encontrou com o então ministro Antonio Palocci. “Delúbio Soares pediu ao Opportunity que o ajudasse a pagar dívidas do PT, o que foi rejeitado.”

Segundo a assessoria, a agência de Duda Mendonça foi responsável pelo lançamento da Brasil Telecom GSM, empresa de celular. O publicitário sugeriu o plano “Pula-Pula: o consumidor pagava num mês, não pagava no outro –o que era fácil de entender e foi sucesso.”

A defesa de Duda Mendonça preferiu não se manifestar. A defesa de Delúbio afirma que não teve acesso à delação, mas reafirmou que o ex-tesoureiro do PT nunca cometeu qualquer ato ilegal e está à disposição para esclarecimentos.

A assessoria da Andrade Gutierrez afirma que a empresa, que firmou acordo de leniência, não vai comentar a delação, mas “reforça seu compromisso público de esclarecer e corrigir todos os fatos irregulares ocorridos no passado”.

A Folha não obteve sucesso no contato com o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB), com o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP) e com o ex-ministro Antonio Palocci nesta sexta (21).


“Encher o tanque” de gasolina poderá ficar até 14,4% mais caro com o aumento da alíquota do PIS/Cofins para os combustíveis. Com a medida, adotada pelo governo na tentativa de conter o rombo das contas de 2017, o litro da gasolina pode encarecer até R$ 0,41 nas bombas, caso haja repasse integral para o consumidor.

Com base na última edição do Sistema de Levantamento de Preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP), divulgado nesta sexta-feira, o preço médio do litro da gasolina no País na semana passada estava em R$ 3,464. Para abastecer um tanque de 50 litros, o motorista teria de desembolsar R$ 173,20. Com o aumento do imposto, considerando repasse integral da alíquota, encher o mesmo tanque agora irá custar R$ 193,70 – uma alta de 11,8%.

BG


Os fins de semana são marcados pela reunião com os amigos e familiares. Nas horas de lazer, os jogos fazem parte do entretenimento. Mas, quando a tendência de apostas aumenta e causa vício, pode levar rapidamente a danos psicológicos.

‘‘Psicologicamente, estamos pré-dispostos a viver em um nível que nos leve sempre a um prazer. Essa busca pelo prazer excessivo e constante é que provoca os vícios. Algumas pessoas não conseguem se limitar e acabam se viciando com mais facilidade que outras’’, explica Sarah Lopes, psicóloga do Hapvida Saúde.

A substância do prazer, quando se encontra em desequilíbrio, é capaz de fazer com que o sujeito perca o controle. A profissional alerta para a realidade compulsiva. O desenvolvimento pelo vício em jogos pode ser observado através de comportamentos extremos e constantes. ‘‘No geral, as mentiras, especialmente quando envolvem a frequência em jogar, e o investimento em apostas, são as principais características. Muitos apostadores podem perder o sono ou fantasiar em demasia’’, destaca a psicóloga.

Robson pires


Habitantes do vilarejo de Berau, na Indonésia, se surpreenderam quando um crocodilo de cerca de dois metros “devolveu” o corpo quase intacto de um homem que ele havia atacado na última-terça (18). As informações são do jornal ‘The Sun’.

A família da vítima, identificada como Syarifuddin, de 41 anos, estava fazendo buscas pelo homem nas proximidades de um rio, quando o crocodilo foi avistado com o cadáver na boca. Eles decidiram, então, contratar um feiticeiro especializado em encantamento de crocodilos para que o corpo fosse recuperado.

Testemunhas contam que o homem foi atacado quando se banhava nu no rio Lempake. De acordo com a crença local, a prática de nadar pelado no rio atrai os répteis. Syarifuddin morreu por causa de um ferimento profundo na altura das costelas.


O umarizalense

Evaristo Costa é o jornalista brasileiro mais admirado nas redes sociais. Mesmo com tanto sucesso ele surpreendeu a direção de jornalismo da Globo com um pedido de demissão. Ele ficará no ar até setembro e dará adeus a emissora que trabalhou por 19 anos.

O jornalista Evaristo Costa não vai renovar contrato com a Globo, que vencerá daqui dois meses, segundo o colunista do Uol Flávio Ricco. O colunista afirma que o apresentador do Jornal Hoje já comunicou a direção da emissora sobre a sua decisão, que seria motivada por questões pessoais.

No entanto, especula-se que seu desinteresse seja pelo trabalho no jornalismo que além de ter menores salários que o segmento de entretenimento, impede que o jornalista fature fazendo publicidade.

Hoje o salário de Evaristo Costa é de R$ 70 mil. Coo elemento comparativo podemos citar o salário de Fátima Bernardes, que no Jornal Nacional ganhava R$ 50 mil e hoje no comando do Encontro fatura R$ 1,2 milhão (entre salário e publicidade).

Amigos próximos de Evaristo ouvidos por Ricco afirmam que o jornalista quer tirar um “ano sabático” (ficar 1 ano sem trabalhar) e pretende morar fora do Brasil com a mulher e suas duas filhas. Depois, ele vai resolver seu futuro na televisão.

Especula-se que seu futuro na TV estaria sendo desenhado em parceria com a TV Record. A Globo estaria trazendo Rodrigo Faro e o contra-ataque da Record seria levar para a TV do Bispo os jornalistas Evaristo Costa e

De acordo com o colunista, Evaristo vai se reunir com a direção da Globo na semana que vem, quando a emissora deve se esforçar para manter o jornalista na casa.

Procurada, a assessoria de imprensa da Globo afirma que não dá informações sobre a negociação de contratos.

A Folha Brasil


Imprensa norte-americana já aponta o deputado Jair Messias Bolsonaro como o próximo presidente do Brasil. Avaliação de jornalistas e sociólogos apontam que depois de uma série de desmandos esquerdistas o povo quer um governo direitista e conservador para trazer estabilidade.

Após o deputado Jair Bolsonaro aparecer em segundo lugar em pesquisas de intenções de votos à Presidência, o jornal norte-americano Quartz publicou uma comparação entre o brasileiro e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que também era tido como candidato improvável nas eleições à Casa Branca em 2016.

“A eleição de Trump ensinou aos norte-americanos que qualquer candidato, não importa o quanto ele pareça, deve ser levado a sério por todos antes que seja tarde demais”, diz o texto.

De acordo com a publicação, embora a população dos EUA não conheça a história de Bolsonaro, ela é parecida com a do republicano e, portanto, “os brasileiros precisam entender isso agora”.

O deputado, que representa o Rio de Janeiro na Câmara dos Deputados do Brasil, costuma dizer que:”Eu não tento agradar a todos. Eu não sou bom, mas os outros são muito ruins. Eles tentam me derrubar, mas continuo a subir nas pesquisas”.

O Quartz define Bolsonaro como um “fenômeno popular” na política brasileira e suas declarações polêmicas podem ser comparadas por diversas vezes as de Trump. O magnata também é conhecido por seu estilo excêntrico e politicamente incorreto.

Segundo o jornal, o discurso do deputado é centrado em suas visões conservadoras sobre uma série de questões sociais. Ele já deixou claro que “preferiria ter um filho morto do que um homossexual” e que a comunidade LGBT está tentando assumir a sociedade.

Para Bolsonaro, “esses grupos querem alcançar nossos filhos para transformá-los em adultos gays para satisfazer a sexualidade dos homossexuais no futuro”, diz a publicação.

O deputado do Partido Social Cristão (PSC) irá se candidatar à presidência nas eleições de 2018, principalmente após a onda de escândalos e corrupção que envolvem a maior parte dos políticos.

De acordo com o jornal, “os brasileiros, assim como os norte-americanos, estão com sede de mudança. A inflação é alta, o crime é alto, o desemprego é alto, mas o quadro de políticos é corrupto. Bolsonaro tem uma mensagem diferente que se encaixa” no atual cenário.

“Eu sou uma pessoa autêntica. Minhas propostas são diferente de tudo o que está lá fora”, disse ao Vice News o político que acredita que um retorno à lei e à ordem significa mudar a política de direitos humanos no Brasil, porque “não podemos tratar os criminosos como vítimas. Você luta contra a violência com violência”.

No texto norte-americano é destacado outro ponto que teria impulsionado Bolsonaro: o movimento evangélico do Brasil. No Congresso, a Igreja está cada vez mais dominante, inclusive a maioria de seus membros votaram a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Além disso, a publicação ressalta que a população conservadora sente que o país está perdido com políticas liberais e a solução é ter políticas mais duras como as do futuro candidato ao Palácio do Planalto.

O Brasil enfrenta a sua pior recessão econômica desde a década de 1930. Quatro brasileiros em cada 10 estão desempregados. A ascensão de Bolsonaro, segundo o Quartz , tem gerado repercussão mundial. “Eu faço novidades, então é claro que as pessoas etão atrás de mim”, disse o deputado ao jornal.

Mas Bolsonaro ainda acredita que a mídia o retrata injustamente. A narrativa de como a mídia e a oposição estão tentando sufocar seu movimento também está presente no discurso do político. Esta é mais uma das histórias que os norte-americanos estão familiarizados. Trump já denunciou diversas vezes que as declarações da imprensa sobre sua vida pessoal e política são “mentirosas”.

A publicação ainda diz que o brasileiro se compara com outros candidatos de extrema-direita. “Da mesma forma que a oposição está tentando sufocar o movimento de Le Pen na França, eles estão tentando prejudicar minhas chances em 2018”, ressaltou Bolsonaro na entrevista.

A chance de Bolsonaro de ser eleito começou a aumentar. Em 30 de abril, ele apareceu com 15% das intenções de votos atrás apenas no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No entanto, o petista é alvo de investigação por corrupção e lavagem de dinheiro.

Na publicação, Bolsonaro ainda argumenta que os resultados da pesquisa também podem ser enganadores. Ele cita as pesquisas de opinião pública norte-americanas que não previram a vitória de Trump. “Apesar do retrato da mídia dele, ele ainda ganhou”, disse.

Para o jornal, mesmo que Bolsonaro não vença no próximo ano, essa perda não descarta futuras campanhas. “Os brasileiros estão com sede de mudança e estão procurando por alguém diferente – um estranho. É hora de começar a pensar seriamente em Bolsonaro”, finaliza a publicação.

A Folha Brasil


Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.